NOSSA HISTÓRIA

 

Meu nome é Cesar Cupello, tenho 67 anos, sou economista aposentado e moro na cidade de Valença - interior do Estado do Rio de Janeiro.

Minha relação com a marca GURGEL começou no final de 2006, quando dirigi pela 1ª vez um GURGEL; o BR800SL do Silvinho; foi amor à primeira vista – não pelo Silvinho – mas pelo “carrinho” dele.

 

Então, em Janeiro de 2007, resolvi comprar o “meu Gurgel” e, depois de muita procura, encontrei um SUPERMINI 92 meio caidinho, mas que, como tinha a documentação em dia, achei que merecia uma restauração.

 

De janeiro a abril daquele ano, foi uma verdadeira loucura porque a marca e o modelo do carro era uma novidade e, por aqui, ninguém sabia nada de Gurgel.

 

Foi ai que começou a bagunça: busca informação daqui ... caça peças de lá ... fuça na Internet – dia e noite ... uma verdadeira loucura!! Até que, finalmente, encontrei o site www.gurgel800.com.br, que se tornou um porto, mais do que seguro, para ancorar a minha ignorância, tirar as minhas “muitas” dúvidas e trazer luz ao assunto "GURGEL".

 

Eis que daquele site saem verdadeiros anjos da guarda como o Fernando João, o Hélio Puglielli Neto, o Daniel Eduardo Caldeira ... enfim, muitos outros amigos, sem os quais eu não teria conseguido; pois todos, com o maior carinho, foram me dando informações, dicas e sugestões até que eu conseguisse chegar ao resultado final que é o "Bibelô".

 

Da só uma olhadinha neste link e veja se consegue imaginar o desespero.

 

Acontece que aquele pequenino "vírus", que um dia infectou o Dr. João Augusto Conrado do Amaral Gurgel, também me pegou de surpresa e aquele amor pela marca, pelos modelos, e por tudo que lhes diz respeito, também me contaminou.

 

Pois é exatamente por conta disso que aqui estou agora, dando a minha modesta contribuição no sentido abastecer aos novos "gurgeleiros" com aqueles acessórios indispensáveis ao arremate final de seus carros e que são "mosca branca" no mercado.

 

Meu objetivo aqui não é comercial; é antes de tudo ajudar aos amigos a preservar seus carros, preservando desta forma a história do único carro 100% brasileiro.

 

No site GURGEL800 tem um comentário sobre o livro do Lélis Caldeira e, à certa altura o comentarista diz:

"Se gênio ou visionário, empreendedor ou utópico, bem-sucedido ou fracassado, não cabe aqui julgar. Mas não há dúvidas de que João Gurgel faz parte do rol das pessoas de fibra, que são lembradas por fazerem a diferença e marcarem o caminho por onde passaram".

Este sim é o meu objetivo aqui.

A você paciente leitor, um forte abraço e obrigado pela visita ao site.

 

Cesar Cupello